domingo, 30 de agosto de 2015

TRAGÉDIA NA PMPE: NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A MORTE DE POLICIAL EM SERVIÇO


NOTA DE ESCLARECIMENTO DA PM


Face às diversas informações que circulam nas mídias e redes sociais, sobre as circunstâncias que envolvem a morte do cabo ADRIANO BATISTA DA SILVA, 41, vítima em serviço de disparo de arma de fogo efetuado pelo soldado Flávio Oliveira da Silva, 32, que trabalhava de patrulheiro na viatura comandada pela vítima, o comando Geral da PM esclarece:

- O Cb Adriano era responsável pelo patrulhamento ostensivo motorizado
nos bairros de Guabiraba/Pau Ferro, com ele trabalhando o autor do disparo e uma policial militar feminino, que presenciou o crime;

- Hoje seria o quarto serviço que a equipe estaria trabalhando junto, não havendo qualquer relato anterior que indicasse desentendimentos entre os componentes da guarnição;

- O Sd Flávio, responsável pelo disparo, tem 6 anos na PM e
já serviu no 17º BPM, com sede em Paulista, e no 19º BPM, em Boa Viagem, de onde foi transferido, por permuta, com outro polical para o 11º BPM, em Casa Forte. A permuta é um procedimento administrativo de movimentação de policiais militares para as unidades da Corporação e tem como princípio o interesse das partes envolvidas, sendo o sd Flávio apresentado no batalhão atual no último dia 03 para exercer suas funções policiais militares;

- O tiro fatal aconteceu logo depois que a equipe assumiu o serviço e próximo ao açude de Apipucos, zona Norte do Recife. Na ocasião o Cb Adriano retornaria para a sede do 11º BPM com o objetivo de substituir o suspeito por outro policial, já que entre eles estava havendo, na data de hoje (30), um desentendimento sobre temas ideológicos. Após ser atingida pelo disparo, a vítima, que dirigia a viatura, perdeu o controle da guarnição, que logo, com a intervenção da policial feminino, conseguiu colidir em um poste e outro veículo particular, evitando cair no açude da região. De imediato, a PM, em estado de choque, seguiu correndo para a sede do 11º BPM, distante cerca de 400 metros do ocorrido, onde solicitou ajuda de colegas, que fizeram a prisão do patrulheiro, ainda no local do crime.

O fato, que choca a sociedade Pernambucana e toda família policial militar, tem recebido a atenção do Comando Geral, que já empenhou as equipes de oficiais do Centro de Assistência Social e do setor de Psiquiatria da PM, bem como dos 11º BPM, 17º BPM, 19º BPM e o serviço reservado da Corporação, com o objetivo de entender o que pode ter motivado a solução fútil e covarde com que se deu desfecho deste caso.

Até aqui, o que se sabe é que o sd Flávio já passou por intervenções cirúrgicas neurológicas e no ano de 2013 foi atendido pelo núcleo de Apoio ao Dependente Químico (NADEQ), por uso de álcool, e pelo Gabinete de Psiquiatria da Corporação, de onde recebeu alta médica, reabilitando-o para o serviço policial militar.

No que diz respeito às questões étnico-racial, que se especula, em princípio, ter sido a motivação de uma discussão entre as partes, a PM, desde o ano de 1998, preza nas suas matrizes curriculares a presença da disciplina de Direitos Humanos, com a inclusão de outras disciplinas e matrizes de conhecimento no campo não só profissionalizante como ético nos diversos cursos no âmbito da Corporação, a exemplo do atual Curso de Formação de Soldados, com 1.117 policiais militares, que estudaram a disciplina de Diversidade Étnico Sócio-Cultural. Ainda no ano de 2013 a corporação incluiu no seu quadro organizacional uma diretoria estratégica de Articulação Social e Direitos Humanos (DASDH), que vem promovendo palestras nas diversas unidades da PM.

Já em relação às circunstâncias de como ocorreram o lamentável e trágico episódio, estas serão esclarecidas durante a investigação, que já está em andamento, por conta da autuação em flagrante delito do suspeito, que foi autuado em flagrante delito na sede da Corregedoria da Secretária de Defesa Social, por crime militar, e que segue, agora, para a sede do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

CABO ADRIANO
                                                         
SEPULTAMENTO: 



O corpo do CB ADRIANO será enterrado amanhã (31), no cemitério Parque das Flores, em Recife, às 15h. A cerimônia contará com honras militares, que serão realizadas pelo Batalhão de Guarda (BPGd). O Comando Geral determinou luto oficial de três dias em todas as unidades da Corporação.


Coronel Pereira Neto
Comandante Geral

Deixe sua opinião:

4 comentários:

  1. Como esse monstro teve coragem de matar um amigo de farda ;@@@@@

    ABSURDO!

    ResponderExcluir
  2. Já tive vontade de matar um oficial nojento que vive tratando a gente como escravos dentro do quartel,só não fiz isso por causa dos meus filhos pensei muito neles.Mas sei que eu não sou o único que já teve essa vontade.

    ResponderExcluir
  3. Segue minha solidariedade de pesar aos familiares, e a todos que fazem a
    Corporação Policial Militar, pela perda de um profissional que saiu de sua
    casa com o objetivo de combater a criminalidade dando segurança a
    sociedade, e que foi vitima por parte de quem estaria ali com o mesmo
    objetivo.

    Atenciosamente,
    ANTONIO AMARO

    ResponderExcluir
  4. Nesse nosso Brasil, o tempo é maior solucionador de casos, pois somados a memória curta que o brasileiro possui, mais a tendência que a nossa justiça tem de engavetar todas as coisas... No fim das contas não passará de mais uma história de caserna, até que venha outra fatalidade que nos faça lembrar desta última...

    ResponderExcluir

O que você achou da matéria?
Deixe o seu Comentário, Crítica, Elogio ou Sugestão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...