domingo, 3 de julho de 2016

SINPOL PE: SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS PEDE EXONERAÇÃO DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA ALESSANDRO CARVALHO


O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE) divulgou nota, neste sábado (2) defendendo a saída do secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, em virtude do que chamou de “sucessão de trapalhadas” na condução das investigações sobre a morte do “testa de ferro” Paulo César de Barros Morato.
Áureo Cisneiros- Presidente do SINPOL
O texto historia que, no dia seguinte ao corpo ser encontrado, recebeu denúncia de que a equipe de Peritos designada para dar continuidade à perícia papiloscópica, iniciada na noite anterior, foi impedida de realizá-la.



“Desde então, sem sucesso, a Secretaria de Defesa Social (SDS) tenta explicar o inexplicável. Por que o procedimento padrão, aplicado diariamente, não foi rigorosamente cumprido? Com a notícia de que a causa da morte foi por envenenamento, a perícia papiloscópica poderia ter sido determinante para a resolução do caso. Contudo, não foi completada”, diz trecho da nota.


Lembrou que o secretário não
interrompeu as férias apesar da “crise” na segurança pública no Estado.

“A segurança pública parece ter sido abandonada, já que o atual Secretário da pasta, Alessandro Carvalho, fez a opção de entrar em férias justamente na ebulição desse colapso. Claramente a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco está sem gestão. Servidores são pressionados, gestores ‘batem cabeça’ e se contradizem constantemente, e sobre esses fatos, nenhuma palavra do Secretário”, dispara.

Acrescenta que os policiais civis “são plenamente capazes” de elucidar o caso, mas esbarram na “falta de autonomia administrativa, nas ingerências políticas e na falta de condições mínimas de trabalho”.

“Para nós do SINPOL fica insustentável, diante de todos esses fatos, a permanência de Alessandro Carvalho à frente da Secretária de Defesa Social de Pernambuco.”.
Alessandro Carvalho - Secretário de Defesa Social


Leia a íntegra da nota:

A partir das denúncias sobre ingerências na atuação da Polícia Civil de Pernambuco no caso P.C. Morato, uma sucessão de “trapalhadas” aconteceu na condução e divulgação do caso. No dia seguinte a ocorrência, o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE) recebeu a denúncia de que a equipe de Peritos designada para dar continuidade a perícia papiloscópica, iniciada na noite anterior, foi impedida de realiza-la.

Desde então, sem sucesso, a Secretaria de Defesa Social (SDS) tenta explicar o inexplicável. Por que o procedimento padrão, aplicado diariamente, não foi rigorosamente cumprido? Com a notícia de que a causa da morte foi por envenenamento, a perícia papiloscópica poderia ter sido determinante para a resolução do caso. Contudo, não foi completada.

Em meio a essa crise sem precedentes na SDS e no Governo do Estado, a segurança pública parece ter sido abandonada, já que o atual Secretário da pasta, Alessandro Carvalho, fez a opção de entrar em férias justamente na ebulição desse colapso. Claramente a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco está sem gestão. Servidores são pressionados, gestores “batem cabeça” e se contradizem constantemente, e sobre esses fatos, nenhuma palavra do Secretário.

Parece ter entregado seus colegas à própria sorte, deixando a SDS, e consequentemente a segurança do povo, à deriva. Diante do momento de desgoverno pelo qual passa a Secretaria de Defesa Social, realidade que interferiu diretamente nos rumos da investigação do caso P.C. Morato, a imagem da Polícia Civil de Pernambuco esta sendo arranhada. Por isso temos denunciado e continuaremos denunciando qualquer tipo de ingerência que venha fragilizar a atuação da Polícia que investiga os crimes.

Os Policiais Civis são plenamente capazes de conduzir qualquer investigação com excelência, tal qual a Policia Federal. Contudo, esbarramos na falta de autonomia administrativa, nas ingerências políticas e na falta de condições mínimas de trabalho. Em casos que tivemos autonomia investigativa, obtivemos grandes resultados, como nas prisões de 10 (dez) Vereadores de Caruaru e a do então prefeito de Catende, por exemplo. Todos investigados e presos por corrupção, pela Polícia Civil de Pernambuco.

Para nós do SINPOL fica insustentável, diante de todos esses fatos, a permanência de Alessandro Carvalho à frente da Secretária de Defesa Social de Pernambuco. “Estamos lutando por uma polícia que não investigue apenas ladrões de galinhas, mas também investigue e prenda os ‘capas pretas’, responsáveis pela corrupção, que é o maior mal que nosso estado e o nosso país têm enfrentado. Ela precariza os serviços públicos e desvaloriza seus servidores”, explica o Presidente do SINPOL, Áureo Cisneiros.


Deixe sua opinião:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou da matéria?
Deixe o seu Comentário, Crítica, Elogio ou Sugestão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...